sábado, 26 de novembro de 2011

"Tortura pentecostal"

Eu dei esse título a essa postagem pois o que passei certo dia foi uma verdadeira tortura psicologica com a capa de [pseudo]pentecostalismo.
Eu gosto muito de frisar que SOU PENTECOSTAL e não nego isso. Me alegro muito em ser o que sou e nem me arrependo nem me envergonho disto. Porém... (Esse porém é que mata e faz desmoronar muita coisa) Eu sou adepto do verdadeiro poder do Espirito e não de movimentos movidos a "louvor de fogo", aonde o ritmo balançado e embalado por fortes batidas meche com a emoção trazendo movimentos e ações até mesmo descontroladas com capa de espiritualidade (aliás, eu não sei de onde tiraram que ser espiritual é está pulando dentro da igreja!).
Eu não estou dizendo que sempre fui imune a essas coisas, pois não fui no princípio. Já pulei, já "marchei", já corrí, movido a esse tipo de falácia chamada de "movimento re-te-té".  No entanto, todos os verbos estão no passado e sem indicação de procedência semelhante no presente e no futuro.
Eu gosto do mover do Espirito e de derramamentos de poder, mais veja bem a que eu me referí, mover DO ESPÍRITO e derramamento DE PODER!
Não gosto de manipulação emocional, vou ser mais enfático, eu abomino manipulação!
E nesses dias ainda tem muitos que entram por esse caminho, manipulam o povo enquanto podem ao invés de pregar a palavra. Tem outro detalhe, quando falo de PREGAR é de expor a palavra de forma coerente e respeitando os textos biblicos dentro de cada contexto, não falo de narração de historia e lançar palavras de efeito e "profecias" coletivas do tipo: tem gente aquí passando luta! Deus está ouvindo a oração de crente aquí! E coisas parecidas que não precisa de revelação pra se saber.
E o pior de tudo é que as pessoas estão subistituindo o poder do Espirito por emocionalismo. Tem pregador que batiza mais com o Espirito Santo do que o próprio Jesus! Você pode me perguntar, "como assim? tem pregador que batiza mais do que Jesus?" Isso mesmo! Eles colocam a pessoa para ficar repetindo glória-aleluia-glória-aleluia e quando de tanto se repetir embaraça as palavras baubuciando algo como "Gloluia" ou "Aleglória" eles dizem que foi lingua estranha declarando-a como batizada no Espirito Santo.
De maneira sincera e real o Dr. Jack Deere narra uma experiencia semelhante ainda do seu tempo de escola, quando em um culto, que eles faziam na hora do intervalo, um certo pregador chama os jovens à frente para serem batizados no Espirito Santo:
"O convite que ele fez na conclusão da mensagem não visava à salvação dos pescadores, mas os que buscavam o batismo com o Espirito Santo e o dom de linguas. Feito o convite, alguns de meus amigos forma à frente para verem mais de perto o que estava acontecendo. Lá viram dois homens  orando por um terceiro. Eles diziam a este que abrisse a boca e emitisse sons, e ele assim o fez e na mesma hora ele foi anunciado que havia recebido o dom de linguas."(Surpreendido pelo poder do Espirito, pg 82)
Esse fato não é muito diferente do que tenho visto por aí. Pessoas que nem em linguas falaram mais por emitir sons sem nexo são declaradas como batizadas no Espirito. Isso é mentira e enganação! Deus não está nesse negócio.
Eis aí minha tortura, presenciar essas coisas e não poder tomar as atitudes que desejo. E aliás quando por meio do ensino na pregação da palavra falo algo do tipo, sou taxado de "crú" e de que quero ser mais conhecedor do que todo mundo e de que quero entender demais os "mistérios de Deus".
Fica aí para a reflexão de quem ler!

“Eu profetizo”


O ministério profético cessou. Todos os profetas de Deus foram rejeitados e mortos (Mt 23:37). Segundo a palavra de Deus, o que existe hoje, na igreja do Senhor, é o "Dom da Profecia". Profecia, então, é um "Dom espiritual" (I Co 12:10), útil para que Deus fale de maneira sobrenatural às pessoas, assim como, pela "variedade de línguas", se fala sobrenaturalmente a Deus. O "Dom espiritual" é uma capacidade sobrenatural que atua nos filhos de Deus, quando Deus quer, e para o que ele achar proveitoso (I Co 12:11). Por isso, o uso da frase “Eu profetizo” é totalmente incorreto.
A Bíblia ensina que a profecia não depende do "EU" querer: ... porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirado pelo Espírito Santo. (II Pe 1:21). É bom observarmos que os homens santos de Deus também não usaram essa frase; ao contrário, quando profetizaram, disseram: Assim veio a mim a palavra do Senhor ... (Jr 1:4); Assim diz o Senhor ... (Jr 2:5; Is 56:1; 66:1); Ouví a palavra do Senhor ... (Jr 2:4); E veio a mim a palavra do Senhor (...) disse o Espírito Santo ... (At 13:2); ... Isto diz o Espírito Santo ... (At 21:11); Mas o Espírito expressamente diz ... (I Tm 4:1). Em todos os casos, não aparece o "EU", aparece a pessoa divina.
Pense bem: Como é que eu e você vamos profetizar bênçãos, sem que Deus tenha nos autorizado, em sua palavra, a Bíblia Sagrada? Como é que eu e você vamos profetizar, se, em nós mesmos, não há bênçãos para oferecermos, visto que a Palavra afirma que, em nossa natureza, não habita bem algum? Como é que eu e você vamos profetizar bênçãos em nosso nome, se a Bíblia afirma que toda boa dádiva, todo dom perfeito vem do alto, do Pai das luzes, em quem não há mudança e nem sombra de variação?